Cozinha do Regional de Marabá é aprovada com selo Green Kitchen

730x250

Há mais de dez anos, dona Maria de Sousa é cozinheira no Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), unidade pública gerenciada pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Ela sabe que seu papel é fundamental na recuperação dos pacientes. ‘Nem só o medicamento cura, mas a alimentação também. Eu me sinto muito feliz em participar disso. Gosto que os pacientes saiam daqui todos saudáveis’, afirmou ela.  A dedicação de cozinheiros, estoquistas, nutricionistas, copeiros e auxiliares administrativos e de cozinha, para aprimorar o padrão de qualidade das refeições servidas na unidade, e a adoção de práticas sustentáveis levaram à conquista do selo Green Kitchen, pelo terceiro ano consecutivo. A certificação é emitida pela Fundação para a Pesquisa em Arquitetura e Ambiente (Fupam), baseando-se em critérios internacionais de medição de eficiência na responsabilidade social e ambiental.  Nesta edição, além de dar continuidade às ações já implementadas pelo Serviço de Nutrição e Dietética (SND), o hospital passará a separar o papelão dispensado na unidade. Dessa forma, 200 quilos mensais do material, que antes seriam levados para o aterro sanitário, serão doados a instituições que trabalham com reciclagem. Atualmente, o hospital já segrega lâmpadas queimadas, pilhas e o óleo usado na fritadeira da unidade, seguindo o Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS), com o objetivo de minimizar os impactos ambientais.  Para a coordenadora do SND, Nathália Lobato, desta vez, a renovação se deve, em grande parte, ao trabalho desenvolvido em conjunto com a Comissão de Sustentabilidade. ‘O Green Kitchen é o reconhecimento do compromisso da nossa equipe para oferecer para usuários e colaboradores um serviço de qualidade. Desde o primeiro ano que nossa cozinha foi aprovada com o selo, em 2015, buscamos tornar nossas atividades mais sustentáveis, afinal, promovemos a saúde’, argumentou a nutricionista.  Hoje, a unidade tem como boa prática sustentável o  aproveitamento integral dos alimentos, agregando mais nutrientes ao cardápio e reduzindo os resíduos gerados, como a abóbora e o chuchu, que são cozidos e servidos com a casca. A iniciativa beneficia diretamente o usuário.
Agência Pará de Notícias

COMPARTILHAR