Comunicadores discutem futuro do cooperativismo

Por: paracooperativo.coop.br

 
 
 
Pensar no futuro. Este foi o desafio para os participantes do Encontro de Comunicadores do Sistema OCB realizado nesta quarta (31/10), em Brasília. Na comitiva paraense, estavam Aladir Lopes, secretária executiva, Raquel Ruis, gerente de operações, e Ísis Margalho, da assessoria de comunicação. O objetivo era pensar num futuro cooperativismo referência em inovação, palpável e possível.
 
 
“Primeiro veio o impacto de pensar em 2050. Depois, projetar esse futuro foi se mostrando cada vez mais nítido e como podemos escaloná-lo para chegar até esse objetivo”, destacou Aladir Lopes.
 
 
O exercício de projetar esse futuro ideal para 2050 rendeu projetos interessantes, fictícios, mas quem sabe realizáveis?! Foi o que apresentou o grupo da gerente de operações, Raquel Ruis. “Nesse projeto, liberamos as amarras do ‘não pode’ e a criatividade fluiu. Fizemos um carro movido à energia renovável, ‘triflex’: biomassa, eólica e solar. Toda a lataria do carro captaria energia fotovoltaica e , ao entrar em movimento, poderia utilizar a eólica. A biomassa seria uma espécie de reserva técnica”, contou.
 
 
Outro projeto, visava colocar na prática a cultura cooperativista por meio de ações que mostrassem os conceitos e boas práticas Cooperativistas no dia a dia das pessoas e assim transformar o “conceito” cooperativista em uma experiência cotidiana: o SomosCoop Sistêmico. “Nosso trabalho seria um dos primeiros passos para construir esse Cooperativismo de referência que todos queremos. Seria um desdobramento do SomosCoop para o endomarketing voltado para a consolidação da cultura cooperativista das unidades estaduais e um apoio à estrutura, processos, gestão. Assim as unidades teriam condições mais equilibradas e equidade para cumprir a missão de colaborar com o desenvolvimento do cooperativismo em suas regiões”, explicou Ísis Margalho. 
 
 
Ao todo, sete projetos ilustraram o Cooperativismo em 2050. Em 2016, um desses projetos fictícios virou realidade. A ideia era contar histórias reais de pessoas que vivenciavam o cooperativismo no seu dia a dia. Nada de ficção, mas realidade. Seriam as pessoas reais do cooperativismo falando e ensinando como é de fato o cooperativismo. Esse projeto “fictício” virou realidade com a web série “SomosCoop” em 2017. Então, será mesmo que os inventos nesta edição de 2018 são realmente irrealizáveis? 
 
 
Serviço: a web série está disponível no canal Somos Coop no YouTube.
COMPARTILHAR