Como será o Paraense de Futebol de 2018?

Está chegando 2018 e o Campeonato Paraense vem aí para mais uma edição, para os torcedores em geral e para os fãs de apostas esportivas em particular. A Série A do Brasileirão concentra o forte das atenções, mas a tradição e as rivalidades antigas do paraense são um tônico extra para acompanhar nosso estadual. Como será em 2018?

Depois do bicampeonato do Paysandu (o sétimo de sua história), o Remo vai querer evitar que isso se transforme em um tri, algo que o Lobo conseguiu pela última vez na virada do milênio. O Leão Azul está investindo forte nessa temporada e já contratou 19 jogadores novos. Entre eles vem Isac, do Bahia, jogador experiente e bem conhecido que vem com o objetivo claro de ser o homem-gol.

Já o Paysandu acabou contratando um “pacotão”, segundo o Futebol Interior, com um atacante, dois laterais, dois zagueiros e um goleiro. Peu é o nome mais importante, ele que vem do Fluminense, tem passagens pelo exterior (México e Polônia) e até já tinha recusado um empréstimo para o clube da capital. No conjunto vem também Renan Rocha, goleiro de 30 anos que chega do Bragantino, e ainda Matheus (estrela da Segunda Divisão), Maicon Silva (Criciúma), Derlan (categorias de base do Fluminense) e Timbó (jogou com Kaká nos Estados Unidos). Os últimos três, mais jovens e menos experientes, vêm apenas para jogar no Parazão, mas não deixam de ser apostas consideráveis e de grande valor.

E os outros?

O técnico Junior Amorim é uma novidade no Independente de Tucuruí. Depois de uma boa campanha no Pinheirense, o campeão de 2011 – que ficou no grupo do Paysandu – aposta em reviver sucessos recentes e quem sabe conseguir uma surpresa. Afinal, na semifinal disputada com o Remo em abril de 2017, o Independente estava em vantagem até aos 84 minutos da segunda mão, mas dois gols nos minutos finais levaram o jogo para os pênaltis, onde o Remo levou a melhor. (Nota interessante: se aqui se aplicasse a regra comum das competições na Europa, de dar vantagem a quem marcou mais gols no estádio do adversário, o Independente seguiria para a final sem precisar de pênaltis. No conjunto das duas partidas, o Galo Elétrico marcou um gol fora, enquanto o Remo marcou zero.)

Já o São Raimundo, o outro semifinalista, acertou com o técnico Vladimir de Jesus, profissional com larga experiência no campeonato Cearense e com experiência também como professor; inclusive, ele é formado com mestrado.

Valerá apostar numa surpresa, ou será que Remo ou Paysandu vão fazer valer a força da História? E qual deles? O Parazão começa dia 20 de janeiro.

 

COMPARTILHAR