Chalé Tavares Cardoso

O Chalé Tavares Cardoso, uma pequena e belíssima joia da arquitetura paraense, que remonta os ecos na Belle Époque, foi devolvido à população do distrito de Icoaraci, onde se localiza, no final da tarde desta quinta-feira, 27, após cuidadosa reforma patrocinada pela Prefeitura de Belém, e volta a abrigar a Biblioteca Pública Municipal Avertano Rocha.

Localizado na orla de Icoaraci, à rua Manoel Barata, a obra foi executada pelo escritório paraense R2 Arquitetura & Urbanismo, contratado e fiscalizado pela Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb), em parceria com o Departamento do Patrimônio Histórico da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel).

A obra foi executada pela Prefeitura de Belém com recursos do Governo do Estado, além de uma contrapartida da própria gestão municipal, com um orçamento de aproximadamente R$ 2,8 milhões.

“Estávamos com este espaço fechado desde 2014. Com a reforma concluída, era necessário que ele fosse devolvido imediatamente ao público de Icoaraci, que merece ter este espaço de cultura e educação. As obras irão continuar no entorno do prédio, onde iremos construir um parque ao longo do ano que vem. Teremos, assim, um grande centro cultural aqui neste distrito”, adiantou o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, na cerimônia de inauguração.

O prefeito destacou também o esforço da Prefeitura de Belém em transformar a capital paraense em uma “cidade de leitores”. “Nosso esforço é o de proporcionar aos estudantes espaços de leitura, tanto que nossas escolas municipais todas têm uma pequena biblioteca”, destacou o prefeito.

História – O Chalé foi construído no auge da época áurea do comércio da borracha, também conhecido como Belle Époque, por Eduardo Tavares Cardoso, seu proprietário. O belo prédio era cercado por um pequeno lago, onde se podia navegar. Nos jardins, destacava-se a presença de espécies vegetais importadas de outros países, como a Suécia.

Ao longo dos anos, ao Chalé foram incorporados elementos modernos como cisternas, água encanada e iluminação elétrica. Após ser incorporado ao patrimônio municipal de Belém, o prédio abrigou o Grupo Escolar Avertano Rocha, o Museu de Artes Populares e, por fim, a biblioteca.

No ano de 2016, dois anos após ser desativada a biblioteca por problemas estruturais e desgastes ocasionados pelo tempo, teve início a restauração do prédio, que é tombado como patrimônio histórico municipal.

Obras – O projeto de reforma prezou por manter os traços originais da arquitetura do prédio, restaurando e revitalizando toda sua beleza histórica desde os pequenos detalhes da fachada, varandas e escadaria frontal. Toda a estrutura do prédio foi reforçada e os compartimentos reformados. A parte estrutural foi reforçada com nova fundação e a instalação pilares e vigas metálicas, como recomendam os órgãos de restauro.

O prédio tem dois andares e um porão, cujas paredes receberam novo reboco, acabamentos e pintura. A fachada foi toda reconstituída, mantendo os traços originais e históricos da arquitetura, além de receber pintura em cores que valorizam ainda mais a construção. A escadaria frontal com seus guarda-corpos de madeira foi reconstituída nos mínimos detalhes, o corrimão e os degraus, além das duas cúpulas que integram a fachada. O piso do térreo foi substituído por um material mais resistente. O piso superior em madeira foi restaurado, recebendo tratamento e polimento.

A arquiteta da Seurb Paula Rodrigues diz que a entrega do Chalé é um presente para Belém e Icoaraci. “Ver como ficou o chalé é uma recompensa pelos esforços que foram empreendidos na obra. Foi um esforço conjunto. Utilizamos vários meios para devolver ao prédio as características originais, como fotos antigas e outros. O prédio reformado tem ecos do passado, mas está perfeitamente integrado com a modernidade, sem perder nada do que era antes”, explicou a arquiteta.

Reforma – As obras contemplaram portas e janelas de madeira, que receberam novas esquadrias, acabamentos em vidro e venezianas, fechaduras e trincos e pintura. Alguns compartimentos internos ganharam novas portas de vidro e de alumínio. A cobertura superior foi recuperada e recebeu uma manta antitérmica e impermeabilizante, além de novo forro. As varandas receberam novos pisos, guarda-corpos em madeira e telhado recuperado.

Os banheiros foram completamente reformados e estão adaptados para pessoas com deficiência. O prédio ganhou ainda novos sistemas de refrigeração e contra incêndio, além de uma rede de informática. O espaço também ganhou um elevador para deficientes, em estrutura em alumínio e com sistema elétrico e moderno. Para esse público, o prédio também recebeu rampas de acesso em todos os ambientes.

No piso térreo estão o centro de informática, onde pesquisas podem ser realizadas em modernos computadores, e o espaço infantil com literatura direcionada a esse público e também uma brinquedoteca. Também neste piso fica localizado um posto fixo da Guarda Municipal de Belém (GMB). No segundo piso fica a área de pesquisa, com o acervo de livros da biblioteca.

Inauguração – A inauguração das obras de reforma teve início com a apresentação da Banda da GMB. Logo após a chegada do prefeito Zenaldo Coutinho, a cerimônia continuou com uma performance da atriz Marlúcia Araújo, que fez uma “contação” sobre a história do Chalé.

Várias autoridades do município de Belém estiveram presentes à inauguração, além da ex-presidente da Fumbel, Heliana Jatene, e o professor Avertano Rocha Filho, que representou o pai, que dá nome à biblioteca. Avertano pai era médico e fazia atendimentos também às pessoas mais necessitadas e sem recursos.

“Vir aqui a este prédio é uma viagem no tempo, visto que, boa parte da minha infância passei as férias em Icoaraci, junto à minha família. Tenho muito orgulho de ver o nome de meu pai dado a uma obra tão importante”, disse Avertano Rocha Filho.

Elogios – O poeta Apolo de Caratateua foi um dos moradores do distrito de Outeiro que prestigiou a inauguração das obras. “Toda a minha formação cultural foi feita aqui nesta biblioteca. Meus primeiros passos nas letras foram dados neste salão. Estou muito orgulhoso em ver como esta reforma foi bem-sucedida e está uma beleza”, elogiou o poeta.

Com os filhos Nicolas, de 5 anos, e Nicole, de 4, a engenheira civil Ingrid Soares conheceu o Chalé Tavares Cardoso, e foi ver in loco o trabalho do marido dela, engenheiro Mike Pereira, que atuou nas obras de reforma. “Eu gostei muito do que vi. Cada detalhe da obra chama à atenção e percebemos o cuidado que foi empregado em cada plano dessa recuperação”, constatou a engenheira.

A cerimônia de inauguração teve ainda declamação de poemas pelo poeta Hugo Chagas e pela estudante e poeta Gabriele Oliveira. No final da cerimônia houve a apresentação do violonista Salomão Habib e de alunos do projeto Cantar-o-Lar, que estudam no Liceu de Artes Mestre Cardoso, de Icoaraci.

O funcionamento da biblioteca é das 8 às 14 horas, de segunda à sexta-feira, de forma gratuita a todos os públicos. A Biblioteca Pública Municipal Avertano Rocha fica localizada na rua Manoel Barata, esquina com a travessa do Cruzeiro, na orla de Icoaraci.

COMPARTILHAR