BANCO DA AMAZÔNIA VAI INVESTIR R$100 MILHÕES DURANTE A FIPA

Por: www.revistaamazonia.com.br

O Banco da Amazônia estará presente na XIV Feira da Indústria do Pará (FIPA), que ocorrerá de 15 a 18 de maio, no Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. Patrocinado pela instituição financeira, o evento é uma promoção do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Pará (FIEPA), com correalização do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

Para atender aos empreendedores que pretendem começar ou até mesmo dinamizar os negócios já existentes, o Banco da Amazônia apartou, com exclusividade, para serem contratados na FIPA pelo menos R$ 100 milhões do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte (FNO). Os recursos são para investimentos nas áreas de energia verde, aquisição de máquinas e equipamentos, inovação e capital de giro, dentre outras que podem ser acessadas pelos clientes. Os recursos podem ser contratados por indústrias e atividades correlatas de pequeno, médio e grande porte.

“Nosso objetivo é contratar direto, no evento, pelo menos R$ 15 milhões, sendo o restante dessas contratações originado durante a Feira para chegarmos pelo menos aos R$ 100 milhões. Para atrair os investidores, além das melhores taxas e prazos do mercado, as operações prospectadas na FIPA 2019 terão absoluta prioridade em nossa Central de Crédito, podendo até mesmo ultrapassar esse volume previsto”, explica Luiz Lourenço Neto, superintendente do Banco da Amazônia, que será um dos palestrantes da FIPA, falando sobre as “Linhas de Crédito de Energia Verde para Indústrias”. A palestra ocorrerá na sexta-feira (17), às 17 horas, na sala 12, do Hangar Centro de Convenções e Feiras da Amazônia. A inscrição para esse momento com o representante do banco pode ser realizada pelo site: http://bit.ly/inscricoesfipa

R$2,7 bilhões somente do FNO

A instituição financeira tem previsto para o Estado do Pará, em 2019, valores que chegam a R$3,4 bilhões, sendo que, desse total, R$2,7 bilhões são somente do FNO. O objetivo é atender as diversas atividades econômicas, sendo priorizadas àquelas consideradas estratégicas para o desenvolvimento sustentável do Estado, definição esta que o Banco da Amazônia toma em conjunto com os demais atores locais, a exemplo do Governo do Pará.

No Plano de Aplicação de Recursos Financeiros do banco para este ano consta que, entre os setores potenciais para investimentos na área da indústria estão as chamadas transformadoras. É o caso das indústrias de alumínio, onde se destaca o polo existente no município de Barcarena, e de insumos agrícolas, como calcário e fosfato, produzidos em Redenção, Santana do Araguaia, Cumaru do Norte e Bannach.

A indústria de base tecnológica, desenvolvida na Região Metropolitana de Belém, a partir do trabalho hoje executado no Parque Tecnológico do Guamá é outra que tem potencial e pode receber os recursos do FNO, assim como a de beneficiamento de frutas, como é o caso do nosso açaí. Com a atividade em expansão e com a produção sendo exportada para os mercados nacional e internacional, a indústria de beneficiamento de frutas é um campo fértil para investimentos. Quem quiser conhecer mais sobre as linhas de crédito do FNO pode se dirigir ao estande do Banco da Amazônia na FIPA. O espaço da instituição é o de nº 38, localizado no corredor central do evento.