Aprendizes ensinam ginástica laboral para colaboradores da OCB/PA

Por: paracooperativo.coop.br

 

Bastam 15 minutos de exercícios laborais, acompanhados do prazer de trabalhar com o que e com quem se ama, para evitar doenças associadas ao desempenho da função. A felicidade de cooperados e colaboradores, uma das metas do cooperativismo brasileiro até 2025, está diretamente relacionada à saúde, segurança e harmonia dentro do ambiente de trabalho. Neste sentido, algumas práticas importantes foram repassadas pelos aprendizes cooperativos da Unimed Belém (turno da tarde) para o público interno do Sistema OCB/PA, na última terça (16).

 

A atividade também foi desdobramento final do módulo “Formação Humana e Científica”. Os aprendizes da tarde decidiram trabalhar a melhoria nas condições de trabalho dos funcionários da Unidade Estadual, a partir da cooperativa fictícia que eles mesmos criaram: Cooperativa de Segurança ao Trabalhador (SATCOOPER). Foram feitas duas rodadas de palestras sobre o tema com base nas normas regulamentadoras 6 e 17 estipuladas pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

 

Os aprendizes falaram sobre fatores de proteção, saúde no ambiente de trabalho, noções de ergonomia, doenças associadas a riscos ergonômicos e práticas de prevenção às doenças. Para tal, o funcionário deve ter uma boa postura, em especial no uso de computadores e de cadeiras. É necessário fazer pausas para se alongar e exercitar os punhos e as mãos com o uso da bolinha terapêutica. Os alunos, inclusive, distribuíram bolinhas e ensinaram exercícios simples que podem ser adotados no dia a dia e contribuir para a saúde física e mental.

 

 

 

Ao longo da estruturação do projeto, os alunos fizeram uma análise do ambiente de trabalho e fizeram apontamentos de melhoria.  “Nosso objetivo foi alertar com base nos riscos que identificamos nas posturas incorretas e nas possibilidades de adequação. Percebemos que existe uma utilização incorreta de computadores, não há uma pausa durante o expediente para fazer exercícios laborais, além ausência de alguns equipamentos auxiliares. Isso pode afetar a produtividade, à medida que acarreta em doenças e prejudica no desempenho. É muito mais fácil evitar do que tratar uma doença”, explicou a aprendiz Eduarda Diniz.

 

O Programa

No módulo em questão, foram trabalhadas quatro unidades: Identidade do Jovem, Políticas Públicas, Segurança no Trabalho e Meio Ambiente/Desenvolvimento Sustentável. Abordaram-se questões que estão em voga na sociedade, tal como a discussão sobre gênero e eleições para presidente.  “Realizamos um estudo mais aprofundado para promover um treinamento que, de fato, contribuísse para a saúde do trabalhador na prevenção de doenças e na melhoria de qualidade de vida.  A avaliação dos trabalho realizado pelos alunos é muito boa, pois realmente se empenharam para além da sala, de aula. Buscaram aprofundamento e cresceram um pouco mais”, enfatizou a instrutora do Programa, Alessandra Souza.

 

Com formação em cooperativismo e em assistente administrativo a partir da vivência prática dentro de uma cooperativa, o Programa Aprendiz Cooperativo possui duração de 18 meses, com 500 horas práticas e 500 horas teóricas. No conteúdo programático são trabalhadas as disciplinas: Cidadania e Trabalho, Cooperativismo, Formação Humana e Científica, Introdução à Administração, Empreendedorismo, Linguagem e Comunicação, Matemática, Informática e Escritório, em que aprendem sobre todas as funções do auxiliar administrativo, e Mercado de Trabalho, que é um preparatório para entrevistas de emprego.

 

“Os alunos nos proporcionaram momentos de aprendizagem bastante relevantes nesta finalização de módulo, demonstrando que o curso teve resultado positivo. Foram trabalhadas relações individuais, humanas, sociais, profissionais e ambientais com o intuito de preparar o jovem para a vida pessoal e para o mercado. São ensinamentos preciosos. Parabenizamos a todos os envolvidos, em especial às professoras que se esforçaram para promoverem o projeto”, afirmou a coordenadora do Programa Aprendiz Cooperativo do Sistema OCB/PA, Rafaela Menezes.

 

 

COMPARTILHAR