Dentro da programação do XXXII Fimupa – Festival Internacional de Música do Pará, a Amazônia Jazz Band (AJB) leva ao palco do Theatro da Paz, na sexta (07/06), a partir de 20h30, um concerto inédito em homenagem a um dos principais músicos paraenses: Sebastião Tapajós.

O festival é uma realização do Governo do Pará, por meio da Fundação Carlos Gomes (FCG), Secretaria de Cultura do Estado (Secult) e Academia Paraense de Música (APM), com apoio da Fundação de Telecomunicação do Pará (Funtelpa), Fundação Amazônica de Música (FAM), Imprensa Oficial do Estado, Secretaria de Comunicação, os Shoppings Grão Pará, Boulevard e Parque Shopping, com patrocínio do Banpará.

Sebastião Tapajós é um dos instrumentistas brasileiros de maior prestígio no exterior (principalmente na Alemanha) e lançou mais de 30 discos. Há quase duas décadas, o violonista de formação erudita, optou por uma vida simples e bucólica, numa casa em frente a praia de Pajuçara, na cidade de Santarém (Pará). Atualmente, aos 77 anos, este só deixa o refúgio para cumprir compromissos artísticos que considera importantes e estará no palco do Theatro da Paz para se apresentar pela primeira vez com a Amazônia Jazz Band, sob a regência do maestro Nelson Neves.

sebastião tapajós
O violonista Sebastião Tapajos em destaque noTheatro da Paz. (Foto: A Provincia do Pará)

Amazônia Jazz Band

O grupo AJB foi formada em 1994, com elementos remanescentes da extinta Big Band, grupo artístico da Fundação Carlos Gomes, até assumir um caráter profissional, ao ser adotada em 1996 pela Secult – Secretaria de Estado de Cultura do Pará. O primeiro band leader da AJB foi o gaúcho Andi Pereira, substituído pelo americano Barry Ford em 1999 e, em 2005 o percussionista paulista Ricardo Aquino passou a responder pela regência. Desde 2012, o pianista arranjador Dr. Nelson Neves está à frente da Banda.

A qualidade técnica conquistada ao longo do tempo, aliada à versatilidade do repertório e a grande receptividade do público paraense, são características que marcam a trajetória da AJB. Esse repertório vem se renovando e diversificando constantemente. A banda cobre, atualmente, não só os clássicos norte americanos escritos para essa formação, como as contribuições contemporâneas nacionais e internacionais. Nos programas da AJB, compositores como I. Stravinsky, D. Schostakovich, dividem espaço, por exemplo, com os paraenses Wilson Fonseca e Waldemar Henrique. Alguns dos mais significativos compositores brasileiros da atualidade escreveram peças especialmente para o grupo, assim como compositores e arranjadores locais.

Nelson Neves

Possui o grau de Doutor em Artes Musicais pela Universidade de Nebraska Lincoln em piano performance. Mestrado em Música da Universidade Missouri-Columbia, em piano performance, e Bacharel em Teologia com ênfase em Música Sacra na Faculdade Batista Equatorial. Vem atuando em vários concertos pela Europa, Estados Unidos, Brasil e América do Sul. Venceu inúmeros concursos de piano de prestígio como a “Série Valores Novos”, no Rio de Janeiro, o Concurso Nacional de Piano da Universidade da Bahia e o Concurso Nacional “Jovens Intérpretes da Música Brasileira”, no Rio de Janeiro. Também conquistou vários primeiros lugares e prêmios importantes em numerosas competições nos EUA, tais como: a competição no MMTA na Southwest Missouri State University, em Springfield; MMTA na Truman State University em Kirksville; e no Concurso “Artista Emergente” na Universidade de Missouri-Columbia.

Paralelamente à carreira de pianista clássico, como ativo pianista de jazz, band-leader e arranjador, Dr. Nelson Neves tem participado de inúmeros festivais de jazz nos EUA, como o Festival de Jazz anual em Columbia, o Festival de Jazz do Capitólio, em Jefferson City, o Festival de Jazz de Wichita e vários outros festivais de jazz em Nebraska.

Sebastião Tapajós Pena Marcião

Violonista e compositor brasileiro. Nascido na cidade de Alenquer (Pará), ainda pequeno mudou-se para Santarém, onde iniciou os estudos de violão. Em 1964 foi estudar na Europa e formou-se pelo Conservatório Nacional de Música de Lisboa, em Portugal. Na Espanha, estudou guitarra com Emilio Pujol e cursou o Instituto de Cultura Hispânica. Regressando ao Brasil, recebeu a cadeira de violão clássico do Conservatório Carlos Gomes, em Belém, onde lecionou até julho de 1967.

Ao longo de sua carreira, o artista já tocou com nomes conhecidos da MPB como Hermeto Pascoal, Jane Duboc, Zimbo Trio, Waldir Azevedo, Paulo Moura, Sivuca, Maurício Einhorn e Joel do Bandolim, e internacionais, como Gerry Mulligan, Astor Piazzolla, Oscar Peterson e Paquito D’Rivera. Em 1998 compôs a trilha sonora do longa-metragem paraense Lendas Amazônicas. Tapajós é um músico consagrado na Europa, onde se apresentou um sem-número de vezes durante as últimas décadas, particularmente na Alemanha, e já lançou mais de cinquenta discos.

Em 2005 estreou, ao lado da bailarina Carmen Del Rio, o espetáculo O Violão e a Bailarina, no Shopping da Gávea, no Rio de Janeiro. O show contou com a participação especial do contrabaixista paraense Ney Conceição. Além de sua obra como instrumentista, é autor de várias canções, em parceria com Marilena Amaral, Paulinho Tapajós, Billy Blanco, Antonio Carlos Maranhão, Avelino V. do Vale e outros compositores. Constam na relação dos intérpretes de suas canções, artistas como Emílio Santiago, Miltinho, Pery Ribeiro, Jane Duboc, Maria Creuza, Fafá de Belém, Nilson Chaves, Ana Lengruber e Cristina Caetano, entre outros.

Em 2010 fez a direção artística do álbum Cristina Caetano interpreta Sebastião Tapajós e Parceiros. Em 2011 produziu e lançou os discos Cordas do Tapajós e Conversas de Violões, com o amigo e parceiro Sérgio Ábalos. Já em 2012 lançou Suíte das Amazonas e remasterizou o clássico Painel, uma de suas obras mais conhecidas em todo o mundo. Em 2013 lançou e realizou turnê nacional com o CD Da Lapa ao Mascote, e lançou o DVD Sebastião Tapajós e amigos solistas (2013).

Em 16 de maio de 2013, Sebastião Tapajós recebeu o título de doutor honoris causa da Universidade do Estado do Pará (UEPA). Ainda no mesmo ano, em 11 de novembro de 2013, recebeu o título de doutor honoris causa da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). Em abril de 2017 foi criado o Instituto Sebastião Tapajós com o intuito de divulgar e sistematizar a produção musical de Sebastião Tapajós.

Programação:
– The Jazz Police, de Gordon Goodwin;
– Sinfonia No. 40 em Sol Menor, de W. A. Mozart (arr. Gordon Goodwin);
– I-80 Shuffle, de Andy Classen;
– I Believe in Grace, de Nelson Neves;
– Manteca, de Dizzy Gillespie;
– Barueri, de Sebastião Tapajós (arr. Nelson Neves);
– Por um Momento, de Sebastião Tapajós (arr. Nelson Neves);
– Pássaro no Jardim, de Sebastião Tapajós (arr. Nelson Neves);
– Pra Tânia, de Sebastião Tapajós (arr. Nelson Neves);
– Bem Mais, de Sebastião Tapajós (arr. Nelson Neves);
– Encontro De Família, de Sebastião Tapajós (arr. Nelson Neves);

Serviço: Amazônia Jazz Band e violonista paraense Sebastião Tapajós, com regência de Nelson Neves, no XXXII Festival Internacional de Música do Pará, Theatro da Paz, dia 07/06 a partir de 20h30. Ingressos são disponibilizados no dia do evento, às 9h, na bilheteria do Theatro no valor de R$ 2,00.